Ir para o conteúdo
Logo NIC.br Logo CGI.br

A Internet é algo que tem feito muito bem pra sociedade e para os indivíduos. As pessoas usam a rede para aprender, para trabalhar, fazer negócios, para se divertir e se relacionar. Todos concordam que a Internet é algo bom. Ela deve ser preservada e deve continuar a se desenvolver.

A Internet depende de tecnologia para funcionar. Ela usa um protocolo, que é um conjunto de regras para os computadores e outros dispositivos eletrônicos conversarem entre si. O coração da Internet é o protocolo IP, ou Internet Protocol. Ele é responsável por dar um endereço numérico a cada dispositivo conectado à rede, permitindo que as informações achem o caminho até seu destino. Desde 1983 a Internet usa o IP versão 4, ou IPv4, mas praticamente não existem mais endereços livres para conectar mais dispositivos, computadores e pessoas. É preciso mudar, alterar o coração da rede, para que ela possa continuar crescendo e evoluindo. A Internet precisa do IPv6.

Mas como isso afeta você?

Vamos conhecer o Mario. Ele é um típico usuário da Internet. Sem o IPv6, ele pode ter alguns problemas no futuro. Mario perceberá que alguns dos sites e redes sociais que ele costuma usar ficarão mais lentos. Em alguns, por exemplo, ele não vai mais conseguir acessar os vídeos. Uns poucos simplesmente não vão carregar mais. Ele também terá problemas quando tentar jogar online com os amigos. Algumas videoconferências não funcionarão direito, o som e o vídeo ficarão estranhos. Ele é fotógrafo amador e costumava compartilhar uma tonelada de fotos com seus amigos via torrents, mas isso também não funcionará mais. Ao falar dos problemas com um amigo técnico, Mario vai descobrir que eles acontecem por que seu provedor começou a compartilhar os endereços IP, usando uma técnica chamada Carrier Grade NAT, ou CGNAT. Isso significa que dezenas de pessoas compartilham o mesmo endereço na rede. O preço da Internet também vai aumentar com o tempo, ela não vai crescer mais tão rápido, e será mais difícil desvendar fraudes e outros crimes. Mario e muitos outros usuários da Internet não ficarão nada satisfeitos com esse cenário.

Outra pessoa que quero que você conheça é a Joana. Ela também é usuária da Internet, mas terá uma experiência bem mais interessante com a rede do que o Mario nos próximos anos. Vamos imaginá-la num cenário em que a implantação do IPv6 será um sucesso. Ao se mudar para sua nova casa, Joana ficará encantada com as lâmpadas, que mudam de cor e podem ser controladas pelo seu celular ou tablet. As luzes acenderão suavemente pela manhã, para acordá-la. E o ar condicionado se ajustará sabendo que ela está chegando do trabalho, no fim da tarde. Ela encontrará em seu futuro cada vez mais dispositivos conectados à rede. Usará roupas inteligentes para monitorar seu estado de saúde constantemente. E seu carro mandará uma mensagem quando precisar de revisão. As redes sociais, compartilhamento de arquivos, videoconferências e jogos funcionarão cada vez melhor, e serão cada vez mais incríveis. Joana ficará satisfeita ao perceber que mais e mais gente está conectada à rede: a inclusão digital será uma realidade. Ela e muitos outros usuários talvez nunca tenham ouvido falar de IPv6, mas estarão muito satisfeitos com essa nova Internet.

Mudar o coração da Internet, a tecnologia que sustenta toda a rede não é uma tarefa fácil. É como um verdadeiro transplante de coração. O sangue do paciente é desviado temporariamente para uma máquina, que faz as funções de pulmão e coração. Isso permite o sucesso do transplante! Mas um paciente não pode ficar ligado a essa máquina por muito tempo. Assim também o compartilhamento de endereços, o CGNAT, pode ser usado como uma técnica para fazer com que a Internet funcione por um tempo, permitindo a implantação da nova tecnologia . Mas só com o IPv6 como seu novo coração ela continuará a crescer e se desenvolver como queremos.

O sucesso dessa mudança tecnológica depende de muitas pessoas e empresas diferentes, como fabricantes de equipamentos, desenvolvedores de softwares, sites com conteúdo e serviços na Internet e provedores de acesso. Depende inclusive do Mario, da Joana, e de você.

Alguns dos equipamentos que você usa para acessar a rede já estão preparados para o IPv6. Por exemplo, seu computador certamente já está pronto para a mudança. Mas o seu smartphone talvez não, dependendo do sistema que ele usa. O mesmo vale para seu console de videogame, para seu roteador sem fio, ou para sua smart TV. Alguns sites e serviços na Internet já estão bem preparados para o IPv6. Sites como o Google, o Facebook, o Yahoo, o Netflix, Youtube, Terra, UOL, e milhares de outros. Mas vários sites de comércio eletrônico, bancos e sites do governo ainda não estão preparados. Talvez não tenham ainda percebido a urgência ou gravidade da situação. Você também depende do seu provedor para acessar a rede. Alguns provedores estão bastante adiantados para fazer a Internet funcionar usando IPv6. Outros não.

O importante de agora em diante é que, seja ao trocar de smartphone, comprar um novo programa para seu computador, ou contratar um novo acesso à Internet, você se informe antes, e aceite apenas se já funcionar com IPv6. Você pode também ligar para seu banco, enviar um email para sua loja online preferida ou entrar em contato com seu provedor e perguntar como eles estão se preparando para essa nova Internet. Se eles não souberem do que você está falando, diga que é melhor se informarem: usando a Internet!

Compartilhe

Busca